A PROPOSTA DO ENSINO MÉDIO E OS JOVENS

POSSIBILIDADES E DESAFIOS FRENTE AOS PROJETOS DE FUTURO

Autores

Palavras-chave:

Reforma educacional, Ensino Médio, Projeções do futuro

Resumo

Este trabalho busca contribuir para a análise e reflexão das relações entre jovens e escola. O estudo tem como objetivo evidenciar, de forma crítica, o sistema educacional posto por meio da reforma do ensino médio, e de que forma a escolarização dos jovens passa a ser comprometida diante deste cenário. É um estudo qualitativo, que parte de um ensaio teórico bibliográfico-documental, intencionando demonstrar a gravidade que a inconsequência ao tratar das questões de escolarização das juventudes pode trazer para os seus futuros, no âmbito pessoal, acadêmico e profissional. Propomos uma discussão sobre a garantia constitucional do ensino médio enquanto proposição intelectual e de preparação para o trabalho, com ênfase numa formação alicerçada no conhecimento pleno, que colabore com o exercício da cidadania e contribua positivamente na construção da identidade dos jovens, percepções de mundo e sociedade, e consequentemente, na elaboração de seus projetos de vida e para o futuro.

Biografia do Autor

Chanauana de Azevedo Canci, URI - Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões

Doutoranda em Educação pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, Câmpus de Frederico Westphalen. Bolsista CAPES/Brasil.

Bruna Larissa Cecco, URI - Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões

Doutoranda em Educação pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, Câmpus de Frederico Westphalen. Bolsista CAPES/Brasil. Professora EBTT da área de Matemática no Instituto Federal Farroupilha, Câmpus de Frederico Westphalen.

Referências

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília: Senado Federal, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 28 abr. 2022.

BRASIL. Emenda Constitucional nº 59, de 11 de novembro de 2009. Acrescenta § 3º ao art. 76 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias para reduzir, anualmente, a partir do exercício de 2009, o percentual da Desvinculação das Receitas da União incidente sobre os recursos destinados à manutenção e desenvolvimento do ensino de que trata o art. 212 da Constituição Federal, dá nova redação aos incisos I e VII do art. 208, de forma a prever a obrigatoriedade do ensino de quatro a dezessete anos e ampliar a abrangência dos programas suplementares para todas as etapas da educação básica, e dá nova redação ao § 4º do art. 211 e ao § 3º do art. 212 e ao caput do art. 214, com a inserção neste dispositivo de inciso VI. Brasília: Senado Federal, 2009. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc59.htm. Acesso em: 28 abr. 2022.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: MEC/SEB, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 28 abr. 2022.

BRASIL. Lei n. 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera leis e institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2017/Lei/L13415.htm. Acesso em: 28 abr. 2022.

CANCI, C.; COGO, J. R.; MOLL, J. O ensino médio e o dilema da descontinuidade das políticas. Reflexão e Ação (versão eletrônica), v. 23, p. 126-140, 2021.

CECCO, B. L.; MOLL, J.; BERNARDI, L. T. M. S. A defesa do direito de acesso ao conhecimento como base para as mudanças curriculares: um contraponto a reforma do ensino médio no Brasil. In: BAIRROS, Mariângela; MARCHAND, Patrícia. (Org.). A educação básica tem futuro? Porto Alegre: CirKula, 2022. p. 319-342.

CURY, C. R. J. A educação básica como direito. Cadernos de Pesquisa, v. 38, n. 134, p. 293-303, maio/ago. 2008.

DAYRELL, J. T.; JESUS, R. E. Juventude, ensino médio e os processos de exclusão escolar. Educação & Sociedade, Campinas, v. 37, n. 135, p. 407-423, abr.-jun. 2016.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua de Educação. 2019. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101736_informativo.pdf. Acesso em: 28 abr. 2022.

KRAWCZYK, N. Reflexão sobre alguns desafios do ensino médio no Brasil hoje. Cadernos de Pesquisa, v. 41, n. 144, p. 752-769, set./dez. 2011.

LEBOURG, E. H.; COUTRIM, R. M. E.; SILVA, L. C. Juventude e transição para o ensino médio: desafios e projetos de futuro. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 102, n. 260, p. 82-98, jan./abr. 2021.

MOLL, J. Reformar para retardar: a lógica da mudança no EM [Ensino Médio]. Retratos da Escola, Brasília, v. 11, n. 20, p. 61-74, jan./jun. 2017.

Arquivos adicionais

Publicado

2022-05-27

Como Citar

Canci, C. de A. ., & Cecco, B. L. . . (2022). A PROPOSTA DO ENSINO MÉDIO E OS JOVENS: POSSIBILIDADES E DESAFIOS FRENTE AOS PROJETOS DE FUTURO. Colóquios - Geplage - PPGED - CNPq, (3), p.121-128. Recuperado de https://www.anaiscpge.ufscar.br/index.php/CPGE/article/view/1032

Edição

Seção

COMUNICAÇÕES ORAIS: EIXO 3 - POLÍTICAS, GESTÃO E AVALIAÇÃO PÓS-LDBEN