AVALIAÇÃO EM LARGA ESCALA

IMPACTOS NA AUTONOMIA DOCENTE

Autores

Palavras-chave:

Avaliação em Larga Escala, IDEB, Autonomia docente

Resumo

A Avaliação em Larga teve sua gênese em 1980 através da iniciativa do Ministério da Educação e Cultura e tem como objetivo avaliar a qualidade da educação no Brasil. As primeiras experiências da Avaliação foi caracterizada pela participação ativa dos/as docentes, pesquisadores/as e estudiosos/as da educação. Contudo, com a terceirização dos procedimentos da avaliação, os/as docentes ficaram com a função técnica de aplicar as avaliações. Deste modo, o objetivo deste trabalho é compreender quais são os impactos na autonomia docente gerados pela Avaliação em Larga Escala. Para dar conta desta proposta foi realizada uma pesquisa bibliográfica no Portal de Periódico da CAPES, a fim de analisar o que os estudos apresentam em termos de compreensões sobre a problemática em questão. Os estudos analisados sob a Análise de Conteúdo de Bardin (2004) indicam que os/as docentes possuem uma autonomia limitada diante da avaliação em larga escala.

Biografia do Autor

Estéfani Barbosa de Oliveira Medeiros , URI - Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões – (URI – Frederico Westphalen).

Edite Maria Sudbrack, URI - Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões

Doutora em Educação. Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões– (URI – Frederico Westphalen).

Referências

AMESTOY, M. A política de accountability na educação básica e os efeitos da avaliação externa no ensino e na gestão escolar: um estudo no município de Santa Maria/RS. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Santa Maria, RS, 2019. Disponível em: TES_PPGECQVS_2019_AMESTOY_MICHELI.pdf (ufsm.br) Acesso em: 19 mar. 2022.

ARRUDA, V. V. Os mecanismos de controle nas escolas públicas da rede municipal do Rio de Janeiro e seus efeitos para a autonomia docente. Dissertação (Mestrado em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação. Universidade Católica de Petrópolis. Petrópolis/RJ, 2018.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Portugal: Edições 70 LDA, 2004.

BOMBARDA, A. Dilemas e contradições da autonomia docente. Dissertação (Mestrado em Educação Escolar). Faculdade de Ciências e Letras. São Paulo/SP, 2018.

BORGES, W. S. C. A identidade do professor de Educação Básica subjetivada pela avaliação externa Prova Brasil. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal de Goiás, Jataí/GO, 2016.

CRESWELL, J. Investigação Qualitativa e Projeto de Pesquisa: escolhendo entre cinco abordagens. Tradução: ROSA, Sandra Mallmann da. 3. Ed. Porto Alegre/RS: Editora Penso, 2014.

DALBEN, A.; ALMEIDA, L. C. Para uma avaliação de larga escala multidimensional. Revista Estudos em avaliação educacional, São Paulo/SP, v. 26, n. 61, p. 12-28, jan./abr. 2015.

DIAS, R. M. R. IDEB, quantificação e qualidade: avaliação de desempenho no ensino fundamental e os impactos no trabalho docente em escolas de Araguari/MG. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal de Uberlândia: Uberlândia/MG, 2014.

DUARTE, M. B. Tecnologias da subjetivação docente nas políticas públicas da educação em Minas Gerais. Tese (Doutorado em Psicologia). Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Belo Horizonte/MG, 2014.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo/SP: Editora Paz e Terra, 1996.

GOMES, E. A. Autonomia Docente e AVALIA-BH: Implicações das Avaliações Externas sobre o Trabalho dos Professores. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte/MG, 2016.

IANNI, O. Teorias da globalização. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2004.

KANT, Imannuel. Fundamentação da Metafísica dos Costumes. In: Os Pensadores. São Paulo/SP: Editora Abril Cultural, 1974.

LALANDE, A. Vocabulário Técnico e Crítico da Filosofia. 3. Ed. São Paulo/SP: Editora Martins Fontes, 1999.

LÉLIS, L. S. C.; DA HORA, D. L. Implicações da política de avaliação na produção da qualidade educacional. Revista Olhar do Professor, Ponta Grossa/PR, v. 23, p. 1-18, jun. 2020.

MARTINS, A. M. A Autonomia Outorgada: Uma Avaliação da Política Educacional do Estado de São Paulo (1995/1999). Ensaio, Rio de Janeiro, v. 9, n. 33, p. 415-442, out./dez. 2001.

ROSÁRIO, E. H. O estilo profissional docente – a interferência do IDEB na atividade de duas professoras em Maceió/AL. Tese (Doutorado em Educação). Centro de Educação. Universidade Federal de Alagoas, Maceió/AL 2019.

SAVIANI, D. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro/RJ, v. 12, n. 34, p. 152-180, 2007. Disponível em: http://www.unirio.br/cchs/ess/Members/raquel.moratori/trabalho-e-educacao_saviani Acesso em: 08 mar. 2022.

SCHNEIDER, M. P. Políticas de avaliação em larga escala e a construção de um currículo nacional para a educação básica. EccoS – Rev. Cient., São Paulo, n. 30, p. 17-33, jan./abr. 2013. Disponível em: 3537-23860-1-PB (1).pdf. Acesso em: 14 abr. 2022.

SCHNEIDER, M. P.; SARTOREL, A. Prova Brasil e os mecanismos de controle simbólico na organização da escola e no trabalho docente. EccoS Revista Científica, São Paulo/SP, n. 40, p. 17-31, maio/ago. 2016.

SILVEIRA, A. A. F. Uso dos resultados das avaliações externas em escolas de uma cidade do sul de Minas Gerais. Dissertação (Mestrado em Educação). UNIVÁS, Pouso Alegre/MG, 2016.

TEODORO, A. A Educação em tempos de Globalização Neoliberal. Liber Livro Editora Ltda, Brasília – DF, 2011.

VALE, S. F. Autonomia: reflexos da contemporaneidade na atividade docente. Dissertação (Mestrado em Psicologia). Universidade de Fortaleza, Fortaleza/CE, 2013.

WERLE, Flávia Obino Corrêa. Políticas de avaliação em larga escala na educação básica: do controle de resultados à intervenção nos processos de operacionalização do ensino. Revista Ensaio: avaliação e política pública Educacional, Rio de Janeiro/RJ, v. 19, n. 73, p. 769-792, out./dez. 2011. Disponível em: untitled (scielo.br). Acesso em: 25 mar. 2022.

ZATTI, V. Autonomia e educação em Immanuel Kant e Paulo Freire. Porto Alegre/RS: Editora EDIPUCRS, 2007.AROUCA, L. S. Depoimento pessoal concedido na FE/UNICAMP em agosto de 1999.

Arquivos adicionais

Publicado

2022-05-27

Como Citar

Medeiros , E. B. de O. ., & Sudbrack, E. M. . . (2022). AVALIAÇÃO EM LARGA ESCALA: IMPACTOS NA AUTONOMIA DOCENTE. Colóquios - Geplage - PPGED - CNPq, (3), p.109-120. Recuperado de https://www.anaiscpge.ufscar.br/index.php/CPGE/article/view/1031

Edição

Seção

COMUNICAÇÕES ORAIS: EIXO 3 - POLÍTICAS, GESTÃO E AVALIAÇÃO PÓS-LDBEN